Sábado, 20 de Outubro de 2007

Sobreviventes reuniram-se em Coimbra a 13-10-2007

2007Sobreviventes.jpg

 

Os sobreviventes do acidente aéreo ocorrido em Hong Kong, em 1999, escolheram Coimbra para comemorarem a vida, no seu 8º encontro/convívio.

O restaurante escolhido, do Hotel D. Luís, permitiu ao grupo, a maioria de fora de Coimbra, desfrutar duma extraordinária vista sobre a cidade de Coimbra.

As mais de três dezenas de participantes (sobreviventes, familiares e amigos), tiveram a sorte com o dia, o que permitiu ao grupo fazer também uma viagem a bordo do Basófias.

Para a organização (José Soares, Antonino Neves e João Cunha), “estes encontros servem como terapia de grupo. Este ano foi em Coimbra, para o ano logo se vê”. Pela sua singularidade, estes encontros continuam a ser a maior concentração do mundo de sobreviventes de acidentes aéreos.

 

Este acidente está disponível na internet no site:

http://www.youtube.com/watch?v=N_grAqcO-GY

 

 

 

publicado por José Soares às 18:01
link do post | favorito
Sexta-feira, 19 de Outubro de 2007

Santana Lopes está aí

SantanaLopesnaSICN.jpg


Há muito tempo que Pedro Santana Lopes não tinha o seu momento de glória, após a sua frase “vou andar por aí”. Finalmente conseguiu-o, quando, numa recente entrevista para que foi convidado pela SIC-Notícias, sobre as passadas eleições directas para escolher o novo líder do PSD. Pelo que se viu, Santana Lopes está aí.


Pedro Santana Lopes tinha começado a falar há três minutos, quando a jornalista Ana Lourenço o interrompeu: “Dr. Pedro Santana Lopes tenho que o interromper durante um instante. Vamos já em directo para o aeroporto da Portela”. A razão da interrupção por parte daquela estação televisiva era óbvia: José Mourinho estava a chegar a Portugal. Era preciso ouvir em directo o que tinha a dizer ao país, quiçá ao mundo, o melhor treinador deste planeta. O que disse? Nada!


Para quem está mais por dentro destas coisas da Comunicação Social, sabe que quando se inicia um directo, nunca se sabe quando o mesmo é notícia. Claro que há também aqueles que acham que interromper o ex-presidente do Sporting para falar de futebol não é grave. Até nem seria se Santana Lopes fosse falar de futebol, o que não era o caso. Assim, é a futebolização do país, que tantos têm criticado, em especial José Pacheco Pereira, está instalada.


Para o crítico de televisão Eduardo Cintra Torres e perante o facto do ex-treinador do Chelsea nada ter dito, não teve dúvidas em afirmar: “Mourinho pode não ter dito nada de interessante quando chegou, mas Santana Lopes não diz nada de interesse há 30 anos”. Ainda bem que não é esse o caso do crítico, que faz o país parar para ler e ouvir as suas opiniões.


Sobre este caso as opiniões podem ser as mais diversas. Para mim, é completamente inconcebível que a chegada dum treinador de futebol ao aeroporto, qualquer que ele seja, seja motivo para interromper uma entrevista, para a qual foi convidado, dum homem que, pelo menos, já foi: presidente do Sporting, secretário de Estado da Cultura, Eurodeputado, presidente das Câmaras Municipais da Figueira da Foz e de Lisboa, presidente do Partido Social Democrata (PPD/PSD) e Primeiro-Ministro de Portugal. Se nada disto tem qualquer relevância na nossa sociedade, então o que é que tem? O futebol?


Estava longe de pensar em concordar com Santana Lopes. Mas perante o que lhe fizeram em directo e pondo de parte o “animal político” que continua a ser, não desperdiçando a oportunidade de fazer mais pela dignificação da política, do que fizeram os seus companheiros na disputa pela liderança do PSD, subscrevo a sua indignação e a sua atitude. “Acha que isto se justifica?” questionou o ex-Primeiro-Ministro. “Convidaram-me para vir aqui, falar destes assuntos importantes, eu vim com sacrifício pessoal, chego aqui sou interrompido por causa da chegada de um treinador de futebol. Acho que o país está doido”, disse Santana Lopes antes de abandonar o estúdio.


Não sei se a atitude de Santana Lopes irá mudar alguma coisa em próximas situações idênticas. Provavelmente até não, o que será uma pena. Já houve episódios semelhantes e pouco ou nada se alterou. Recordo Hermínio Martinho (na altura presidente do ex-PRD) na RTP em 2004 e Manuel Monteiro (presidente do PND) na RTPN em 2005. Aconteça o que acontecer a partir de agora, seguramente que Santana Lopes nunca teve tanta gente a apoiá-lo com esta pedrada no charco.


 


In Jornal “CAMPEÃO DAS PROVÍNCIAS”  -  03/Outubro/2007


 


 

publicado por José Soares às 14:48
link do post | favorito
Quarta-feira, 10 de Outubro de 2007

Um caso inacreditável no Simplex

 


Como tudo na vida, dificilmente se consegue encontrar a perfeição onde quer que seja. Ainda bem que assim é, para que o Homem continue a lutar para a conseguir, mesmo sabendo que isso é impossível. Nesta teoria, entra seguramente o famoso Simplex (programa de desburocratização da Administração Pública), sistema criado por este Governo e que tem por objectivo principal, facilitar a vida aos cidadãos.


Apesar do muito que ainda há a fazer, de certeza que muitos dos portugueses já beneficiaram desta simplificação administrativa, em situações que antigamente obrigavam os cidadãos a grandes perdas de tempo em filas intermináveis e onde, para desespero de muitos, tinham que se deslocar quase sempre uma segunda vez, porque faltava habitualmente um papel qualquer.


Como sempre, também aqui há pessoas que estão contra algumas variantes deste novo sistema. Por isso, é preciso explicar bem para que os cidadãos entendam os objectivos da generosidade de algumas medidas. Esperemos que isso não venha a acontecer à última iniciativa do Governo, chamada “Perdi a carteira”. Este novo balcão, a ser implementado em 2008 em todas as Lojas do Cidadão, vai permitir tratar do bilhete de identidade (BI), cartão da segurança social, de pensionista, de contribuinte, da ADSE, número do Serviço Nacional da Saúde e da carta de condução. E é sobre este último documento, a história que vou contar de seguida e para a qual não há explicação possível.


O caso que aqui trago, conta-se rapidamente e tive dele conhecimento através do Correio da Manhã de 13 de Agosto passado. Segundo esse matutino, um bracarense perdeu a sua carta de condução. Munido de toda a documentação achada necessária, dirigisse à respectiva Direcção Geral de Viação para que lhe fosse passada uma 2ª via da carta de condução. Após mais de uma hora de espera numa longa fila, finalmente foi atendido. Tudo estaria certo, não fosse a falta da fotocópia do seu bilhete de identidade. Mesmo pagando, pediu se era possível tiram-lhe a referida fotocópia nesse serviço, mas o funcionário que o atendeu disse-lhe que isso não era possível!? Tinha que ir à rua tirar a necessária fotocópia e voltar para o fim da fila!? Indignado com tanto zelo do funcionário, solicitou o livro de reclamações para exprimir a sua revolta. O livro foi-lhe facultado, mas, pasme-se, o funcionário pediu-lhe o bilhete de identidade para tirar uma fotocópia para juntar à queixa. Simplesmente inacreditável.


Seguramente que o funcionário estava a cumprir ordens. Mas, numa altura em que o Governo se esforça por simplificar a vida aos seus cidadãos, há serviços onde é permitido fotocopiar um BI para juntar a uma reclamação, mas não é permitido tirar a mesma fotocópia para juntar a um processo para passar uma 2ª via duma carta de condução. Não dá para entender.


Seguramente que já muito foi feito para facilitar a vida dos cidadãos. No entanto, é sabido que muito ainda há a fazer e este caso é um exemplo do longo caminho que ainda temos que percorrer para desburocratizar o nosso País.


 


In Jornal “DIÁRIO DE COIMBRA”  -  10/Outubro/2007


 


 

publicado por José Soares às 14:19
link do post | favorito
Sábado, 6 de Outubro de 2007

Cidades inseguras

Todos sabemos que não é possível erradicar os actos de vandalismo numa sociedade, em particular nas grandes cidades. É assim em todo o mundo, com especial incidência nos países da América Latina.


Há algumas semanas atrás, utilizei a famosa, pelas piores razões, linha de Sintra da CP. Apesar de mais parecer um metro de superfície, a verdade é que de dentro se via o mesmo que no metro: nada! Os vidros, além de foscos, estão tão grafitados que é quase impossível vislumbrar o que se passava cá fora. Vem à memória as histórias desta linha sobre a violência urbana.


Recentemente, saltou para as páginas dos jornais mais um acto de vandalismo da linha de Sintra. O primeiro comboio que sai de Lisboa às 06h00, trás muita gente de trabalho, mas também trás muitos jovens vândalos, que após saírem das discotecas e bares, regressam a casa, não sem antes insultarem e agredirem quem lhes apetece.


Segundo algumas testemunhas, “mais de 30 vândalos” espalharam o terror aos passageiros. Após passarem a viagem a cantar e a provocar distúrbios, incomodando toda a gente, “fugiram à pressa com insultos e empurrões à mistura, dado que não tinham bilhete e ter aparecido um grupo de revisores, na Amadora”.


Dada a constante violência que se passa nesta linha, a viagem é acompanhada por dois agentes da PSP, que se mostraram impotentes para controlar a situação. Ainda assim, valeu a coragem de um deles, ao pegar na pistola e dar dois tiros para o ar. O que aconteceria a este agente, se calha ter o azar de acertar num destes jovens vândalos? Um deles, abordado por um revisor sobre a falta do seu bilhete, encostou uma navalha ao peito do funcionário da C.P.


Este episódio terminou com a detenção do jovem que ameaçou o revisor com a navalha. Levado à esquadra para identificação, foi notificado para se apresentar tribunal e acabou libertado.


As estatísticas até poderão mostrar o contrário. Mas, fazendo uma pequena análise à nossa imprensa, mesmo a local, chegamos facilmente à conclusão que as nossas cidades estão cada vez mais inseguras, em especial a algumas horas da noite.


In Jornal “O DESPERTAR”  -  04/Outubro/2007


 

publicado por José Soares às 14:33
link do post | favorito

9º Encontro de Gerações do Olivais Futebol Clube

CampeasNacionaisFemininos199798.jpg


O basquetebol está de regresso a Coimbra, em especial ao Pav. Eng. Augusto Correia, nos Olivais – Coimbra.


No passado fim-de-semana, foram várias centenas de pessoas que se deslocaram ao nosso pavilhão, para assistirem à apresentação das 16 equipas que o Olivais tem para esta época de 2007/2008. São cerca de duas centenas, os jogadores (masculinos e femininos) que vão defender a camisola do nosso Clube – o Olivais Futebol Clube.


Para que o torneio “9º Encontro de Gerações” fosse o sucesso que a maioria reconheceu, foi imprescindível a colaboração das equipas convidadas e que foram as seguintes: Portugal Telecom (PT), I. Montemor, Chamusca BC, ES Stº André, Esgueira, CD Torres Novas, GRI Brandoense, Galitos, Guifões SC e Beira-Mar.


Talvez muitos já não se lembrassem, mas fez agora 10 anos que a nossa equipa de seniores femininos ganhou o campeonato nacional da 1ª divisão. Curiosamente, é também este ano que se comemora o Ano Internacional do Basquete Feminino. Por isso e como o Olivais Futebol Clube é um clube com história e também com memória, homenageámos neste torneio as Campeãs Nacionais de Seniores Femininos na época de 1997/1998, com a entrega das faixas de campeãs.


Para a história fica a constituição da equipa: Atletas: Cristina Viegas (cap.), Ana Campos, Rita Seguro, Tatiana Costa, Teresa Cruz, Ana Duarte, Mafalda Jesus, Cristina Ferreira, Kina Brown, Paula Pinho, Sara Ferreira, Carla Sterk, Sandra Ribeiro, Ana Cascão e Sofia Magalhães; Treinador Principal: Prof. Norberto Alves; Treinador Adjunto: Fernando Melo; Director: Artur Caetano; Seccionista: José Mingocho; Fisioterapeuta: Catarina Ferreira; Operador de Video: Luís Santos; Delegado: José Castro e Presidente: Prof. Valdemar Pinho.


Neste fabuloso torneio, ainda houve a oportunidade de entregar medalhas às equipas iniciadas masculinos e femininos, que na época passada (2006/2007) se sagraram campeãs distritais.


Para que estes eventos tenham sucesso, é preciso uma vasta equipa de pessoas na sua organização, numa atitude dedicada e voluntariosa, que muito trabalha nas semanas anteriores à sua realização. Mas, para que toda essa equipa se sinta recompensada, é preciso que o público apareça e acarinhe os nossos atletas e saiba receber os nossos adversários. Felizmente foi isso que aconteceu mais uma vez.


Apesar de todo o esforço que a direcção do Olivais (e não só) faz em prol da divulgação do basquetebol na nossa cidade e na nossa região, isso não se traduz na divulgação em alguma imprensa local dos nossos eventos. No último fim-de-semana, altura que se realizou o nosso torneio, não apareceu qualquer notícia nos diários da cidade a ele referente. Lamentamos esse facto e esperamos que no futuro a Comunicação Social esteja mais atenta às nossas actividades, a qual temos o cuidado de informar previamente.


In Jornal “O DESPERTAR”  -  04/Outubro/2007



 


 


publicado por José Soares às 14:24
link do post | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Abril 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


.posts recentes

. Feira Medieval em Buarcos

. A sorte e a crise não são...

. Parabéns: já só faltam ci...

. A minha aposentação não c...

. A minha aposentação não c...

. Um casarão sem alma

. Ano Novo Vida Velha

. Ano novo, políticos e víc...

. Hora de receber

. Hora de receber

. Função pública e função p...

. Função pública e função p...

. Futebol - um mundo à part...

. Reformas - pensão pública...

. Um casarão sem alma

. A Saúde e a Madeira

. Crimes sem perdão

. Fuga de cérebros

. Rotunda do Ingote

. Pregões de praia

. Tributar as heranças

. Ai Álvaro, Álvaro

. Misericórdia de Semide in...

. Cuidado com o bronze arti...

. I Feira Medieval em Buarc...

. Vamos andando

. José Soares em mini-entre...

. Visita a Cáceres

. Não há vergonha para o de...

. Boa vida para o setor aut...

.arquivos

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Setembro 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Junho 2008

. Março 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Março 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Junho 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

.tags

. todas as tags

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds