Sexta-feira, 10 de Fevereiro de 2006

Olivais Clube de Coimbra – mudança de ciclo

SimboloOlivais.jpg



Hoje em dia cada vez é mais difícil encontrar gente disponível para o mundo associativo. Com qualidade, então é quase impossível. A nossa sociedade está cada vez mais egoísta. Por isso, admiro as pessoas que a troco de nada, se disponibilizam a fazer parte de direcções não remuneradas, em favor de ideais. Embora nalguns casos o melhor seja a profissionalização do dirigismo, na maioria dos casos tal é impossível.


Tudo isto vem a propósito do anúncio do ainda Presidente do Olivais Futebol Clube, Carlos Gonçalves, de deixar os destinos desse Clube. Durante os últimos 6 anos fez parte do elenco directivo e presidiu à direcção durante os últimos dois mandatos – 4 anos. É um trabalho árduo assumir os destinos dum clube que é referência para o bairro onde está inserido, para a Cidade e para a região. A nível basquetebolista, o Olivais já foi uma referência a nível nacional, tendo o seu pavilhão acolhido grandes e emocionantes jogos. Foi um tempo que galvanizou a alma olivanense, apesar dos custos tão falados na época.


É notório o esforço das últimas direcções de Carlos Gonçalves, para dignificar o nome do Olivais. Quem dirige, tem sempre gente a favor e contra. Agora que o presidente anunciou a sua não recandidatura, o que é respeitável e compreensível, é justo reconhecer o seu dedicado trabalho ao Meu Clube. Só quem nunca passou por direcções do género, não percebe o cansaço que se apodera dos seus membros. Como olivanense que sou e sempre fui, só posso dizer: obrigado Carlos Gonçalves.


A partir de Março, não sei quem vai dirigir os destinos do meu Olivais. Se calhar nem é tão importante saber que é a pessoa que vai liderar o Clube. Para mim, mais importante que os nomes, são os projectos. É neles que reside o futuro do Clube. Pode não saber-se o que fazer, mas certamente que todos sabemos o que não fazer. É chegada a altura de envolver também as pessoas que sentem a história do Clube e toda a sua experiência, com a inovação daqueles que vêem esta colectividade dum outro prima, muito diferente mas também respeitável e enriquecedor. Acima de tudo, é chegada a altura de se usar a imaginação para galvanizar um Clube com história, mas que a ela não pode ficar agarrado, dado ter muito futuro pela frente. É por isso, que a nova direcção que vier a dirigir o Olivais nos próximos anos, deve ter em conta e concluir no seu seio essas várias experiências e sensibilidades.


Estamos de tempo de mudança. Com o encerrar deste ciclo e a abertura de outro, há que ter imaginação para que a Cidade em geral e os empresários em particular, comecem a olhar para o nosso Clube com outros olhos. Por mim, estou receptivo às mudanças e até sugiro uma: que se mude o nome do clube para – “Olivais Clube de Coimbra”. A razão é simples: apesar do basquetebol ser a sua imagem de marca, deve manter e criar outras modalidades ou actividades. Não vejo é qualquer razão para manter o nome Futebol no nome próprio do Clube. Sou sócio há 48 anos e nunca lá conheci o futebol. Os tempos que se aproximam são difíceis, pelo que deve juntar a Família Olivanense, a favor do Olivais Clube de Coimbra.


 


in "DIÁRIO DE COIMBRA"  -  10-02-2006 - www.diariocoimbra.pt 


in "OLIVAIS COIMBRA"-Fevereiro-2006- http://olivaiscoimbra.planetaclix.pt 


 

publicado por José Soares às 14:31
link do post | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Abril 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


.posts recentes

. Feira Medieval em Buarcos

. A sorte e a crise não são...

. Parabéns: já só faltam ci...

. A minha aposentação não c...

. A minha aposentação não c...

. Um casarão sem alma

. Ano Novo Vida Velha

. Ano novo, políticos e víc...

. Hora de receber

. Hora de receber

. Função pública e função p...

. Função pública e função p...

. Futebol - um mundo à part...

. Reformas - pensão pública...

. Um casarão sem alma

. A Saúde e a Madeira

. Crimes sem perdão

. Fuga de cérebros

. Rotunda do Ingote

. Pregões de praia

. Tributar as heranças

. Ai Álvaro, Álvaro

. Misericórdia de Semide in...

. Cuidado com o bronze arti...

. I Feira Medieval em Buarc...

. Vamos andando

. José Soares em mini-entre...

. Visita a Cáceres

. Não há vergonha para o de...

. Boa vida para o setor aut...

.arquivos

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Setembro 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Junho 2008

. Março 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Março 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Junho 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

.tags

. todas as tags

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds